Metal Up! na Madanm Marye 04/12/2016

Metal Up! na Madanm Marye 04/12/2016

Neste domingo (04/12), rolou mais uma festa rock na boite do centro da cidade. A Madanm Marye abre as suas portas para o público que curte uma música pesada da Metal Up! Evento beneficente que angariou alimentos não perecíveis para o Lar Tia Anastácia. E a domingueira metaleira não desapontou os que compareceram ao famoso endereço Feliciano Sodré, 901. Um lugar que já teve grandes eventos do estilo e que revive esses momentos com uma molecada boa de distorção. E a festa começa com uma das mais brilhantes bandas autorais da cidade: A Versa entrou com o pé na porta com músicas próprias pesadas de boas referências e abusando do lirismo do excelente vocalista Kadu Magalhães. “A tinta e o papel” foi um dos hits da noite. Sublime; Toda a segurança dos integrantes da Versa não tinham os integrantes da próxima apresentação: A Razzle mostrou uma ótima pegada com um som poderoso e a personalidade do vocalista Pablo Raphael, de boa voz e presença. Se perdeu um pouco durante o set, mas conseguiu agitar a galera com um hard de qualidade. Destaque para o cover do Dio, que não é muito “aventurado” pelas bandinhas por aí. Gostamos!

A próxima banda chega como dinamite. A Les Chinchilas. Pablito Hellboy, tacou fogo do inferno (gostou? Kkkk) na galera com seu vocal potente e presença marcante de palco e o povo do rock foi á loucura. Destaque pra presença da banda anterior que ficou integralmente na audiência cantando e pulando em incentivo aos seus sucessores no palco. Puta apresentação. Banda de futuro. Olho vivo neles; Como a já cascuda Sob Cerco do veterano Fábio Vargas e seu filho Juan que “destroçaram” a galera no Madanm Marye com o seu Hardcore moderno de qualidade, esporrento mesmo, que promoveu a tal “rodinha” no meio da pista. Claro que o sucesso “Sob o Domínio do Medo” foi o grande destaque com a participação do vocalista Delex da co-irmã Nuca Se Renda, mas o set foi mesmo impecável. Destaque total para o guitarrista Juan Vargas que estava “possuído” nas seis cordas. Que performance, moleque!

O encerramento foi com a banda formada para o evento que, como prometido, tocou Metallica. Mas eu não vou resenhar banda cover, porque é aquilo: Se você estava no momento, curtindo, quem sou eu pra falar mal aqui agora? Se eu falar bem, também pouco acrescentará. Certo? Então a gente fala muito bem da organização que foi dez e que venham outros porque o destino do Metal é mesmo esse: “Up!”

Comente!

Fechar Menu
WhatsApp chat