Fliperama atrai público jovem pela magia das máquinas de pinball

Fliperama atrai público jovem pela magia das máquinas de pinball

A garotada de hoje em dia está cada vez mais “fechada” no seu mundo globalizado, ao jogar os seus video games e com a dedicação de horas e horas à poderosa internet. Filmes, séries, tudo pelo Netflix e as ostras estão cada vez mais fechadas. Mas uma galera vem nadando frequentemente contra essa maré, neste verdadeiro mar de egoísmo e vez por outra parte para uma social no cinema, frequenta as choperias, baladas com os amigos e curtem se juntar para se divertir em um fliperama. Aquelas lindas maquinas que acendem a cada jogada e enfeitiçavam a juventude dos anos setenta em Teresópolis no Parque Regadas e que hoje vive um “revival” no Pinball Player, fliper do Bairro de Fátima, que fica bem ao lado do antigo Santo Gole, próximo à Casa de Cultura. Encontramos uma galerinha divertida lá no final de uma tarde de quinta-feira.

Eles chegam com disposição para bater e apanhar das máquinas. E com muitas risadas “na ponta da agulha” até começarem os jogos. São companheiros mesmo. Um joga e os outros fazem companhia. Torcem pelo amigo. E zoam também. O professor de inglês Lucas Martins, 20 anos, está com o seu grupo de amigos no fliperama do Bairro de Fátima. Ele se diverte. “Estou curtindo muito porque é uma diversão mais pura, mais sadia. A gente não precisa de tanta tecnologia para se divertir”, opina o professor para depois ilustrar. “A gente aqui tem uma galera junta, um zuando o outro. Um incentivando o outro. Um ganhando. Outro perdendo. A galera botando pilha… Tecnologia é ótimo, mas ela isola um pouco as pessoas, né, cara. O vintage é legal por isso. É bem mais simplista e traz à tona isso que a gente tem dentro de nós. Essa coisa de viver junto. Do social. É muito bom!”, completa o jovem que é fã de David Bowie, quadrinhos e literatura alternativa, entre outros itens da cultura nerd.

Voltando a ter contato com a máquina

Mais e mais jovens vem conhecendo as maravilhas do game, eternizadas por Roger Daltrey (do The Who) no filme “Tommy”, que tem na música “Pinball Wizard” como seu hino. Hoje existem diversos Pinball Clubes. Nas cidades de São Paulo, Boituva (interior paulista), Rio de Janeiro e até na nossa vizinha Petrópolis. Agora em Teresópolis nós temos uma bela loja com 22 máquinas chamada Pinball Player e os “coroas” já descobriram. Agora é a vez da “molecada”. Lucas curtiu relembrar a “pegada” no pinball: “Eu, quando era criança ia com meus pais naquele fliperama que tinha no shopping no andar de baixo, então eu já tive um contato, mas fazia pelo menos uns dez anos que eu não jogava… Estou apanhando um pouco da máquina, dos amigos (risos), mas estou pegando a ‘manha’ (risos)”.

O Pinball Player fica no Bairro de Fátima. Na Rua Tietê, 93, próximo à Casa de Cultura. Vale a pena conhecer ou reencontrar com máquinas como Rallye, Shark, Cavaleiro Negro… Que tínhamos lá nos anos setenta, nos fliperamas do Parque Regadas. É muito bacana.

Comente!

Fechar Menu